Cantiga de traços tristes




Se reparo traços belos,
Seu passo a passar na rua,
Musa bela o verso nobre
Versa a beleza que é sua.

Musa bela o verso nobre
Difícil hoje de ver,
Tão difícil de tão triste
Fica fácil pra você.

Tão difícil de tão triste
Cantigas a clara lua,
Se não vejo nada belo
Canto assim beleza sua.

Se não vejo nada belo
Só o colo ao cair a conta,
Antigo camafeu de ônix,
Preta cor que ao traço monta...

Antigo camafeu de ônix,
Sem ver o mundo perdeu,
Eu peço a Tempo que o encontre
“Ôh que tempo esse meu Deus”.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A Consciência Negra em Cordel na Escola

A Literatura de Cordel e a Influência Africana

Acho que me meto noutro soneto