Inspirado em foto de moça distante


                                      Foto do ensaio "CorpoRevelado" por Marina Silva

Nem sei os passos da moça,
De tão linda fiz poema,
Escolhendo a foto por voto
Nem se preocupei com tema.

E sem saber dessas normas,
Sei da expressão de tristeza,
Sei da expressão de ternura,
Sei na meiguice a grandeza
E sei no gesto o suave,
A elegância e a fineza.

Não sei se a moça olhava a terra,
Como mãe de carne e sangue;
Quem sabe expressão mais dura
De alguma coisa que nos zangue.

E quem sabe da beleza
Sabe bem que impressiona
Entrego esses versos singelos
De quem a beleza é dona.

Comentários

Carlinha disse…
Versos simples e lindos.
Transparecendo leveza e harmonia que nos faz viajar ao entrar na sintonia.
Obrigado moça por gostar do poema.

Postagens mais visitadas deste blog

A Consciência Negra em Cordel na Escola

A Literatura de Cordel e a Influência Africana

Destrinchando a História da Donzela Teodora* - Um Clássico da Literatura de Cordel