Acho que fiz um soneto...

Soneto



Bahia, terra imensa de tristeza,
Tem uma dor em mim que vem e volta,
Queria que ninguém tivesse acesa
A chama dessa dor que o verbo solta.


De não ter feito amor com a nobreza:
O amado quando a amante sempre o escolta
A cuida com carinho, com firmeza
De ser tranquilo mesmo na revolta.


Agora meu olho como cristal d’água
Carrega de mim mesmo amarga mágoa...
Tem uma dor em mim que vem e volta.


Quem sabe volte a tempo essa doçura,
Volte de novo por minha ternura...
Tem uma dor em mim que vem e volta.




06/02/2010

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A Consciência Negra em Cordel na Escola

A Literatura de Cordel e a Influência Africana