As voltas em torno do sol




Os anos passam no tempo e no espaço mesmo que o tempo seja ruim e o espaço apertado. A aparente calmaria toma conta do mundo em crise. As guerras se fazem inda nos mesmos territórios e pelos mesmos motivos . Já a fome, essa expandiu um pouco para barriga dos gordos.

O tempo continua de mediocridade.

A massa vive no calendário lunar: em tempo mensal ou até quando acabar o salário e receber o próximo; as pequenas e médias empresas e seus respectivos donos vivem no tempo do balanço anual; as grandes vivem seu planejamento de cinco ou dez anos; e as transnacionais fecharam seu ciclo de trinta ou quarenta anos arrastando o mundo para mais uma crise.

A eternidade é coisa do divino.

O preâmbulo acima é só para mostrar que contar e comemorar as voltas que o planeta faz em torno do sol, as que damos junto com ele, é pura convenção. Na realidade o tempo humano depende de como produzimos e reproduzimos nossas vidas.

Faço trinta e duas voltas nesse ano e quem sabe faça mais uma reviravolta. O ano passou e estou como sempre insatisfeito comigo. Produzi pouco e cometi erros vulgares. Quem sabe em 2010 produza mais e cometa nobres erros.

Um nobre erro do ano passado e no qual quero errar cada vez melhor é esse blog.

A novidade será um roteiro com texto e fotos de festas e pontos populares da capital e do interior como havia sugerido em outra postagem. Também desenvolverei listas de livros, músicas e sítios para interessados em cultura baiana e brasileira. Continuarei desenvolvendo análises e resenhas dos clássicos da poesia popular; e ao cabo que for lançando outros cordéis irei disponibilizar para baixar os anteriores. Para isso, contarei sempre com os acertos e sugestões dos amigos.

E que esse ano não seja para todos só mais uma volta em torno do sol.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A Consciência Negra em Cordel na Escola

A Literatura de Cordel e a Influência Africana